Movimento Slow-Fashion

Olá meus amores!

No post de hoje eu vou falar sobre o slow, um conceito que já estava presente na decoração como Slow Living e que agora conquistou um espaço na moda e é conhecido como Slow Fashion, ah… e olha aí uma prova de que moda e decoração compartilham tendências.

Para começo de conversa, tudo começou com o Slow-Food que significa “comida lenta”, esse movimento foi criado por Carlo Petrini em 1986 e tem como objetivo incentivar as pessoas a comerem alimentos mais devagar, assim saboreando e apreciando a comida. Em seguida, surgiu o Slow Living que significa “viver com calma” e tem como objetivo proporcionar as pessoas um ambiente mais tranquilo, equilibrado e sustentável, e também incentivá-las a comprar apenas o necessário. Por fim, temos o Slow-Fashion que vocês vão conhecer agora.

movimento-slow-fashion-gabrielafurquim

(Foto: Acorda Bonita)

O Slow-Fashion foi criado pela inglesa Kate Fletcher, uma consultora e professora de design sustentável. Bom, sabe quando você vai em uma loja baratinha e saí de lá com um monte de “brusinhas” apenas por estarem com um preço bom ou quando você vai e compra aquelas “tendências” só porque todo mundo está usando? Então, esse consumo em massa é conhecido como Fast-Fashion e diferente dele o Slow-Fashion tem como objetivo conscientizar as pessoas sobre o que elas consomem, valorizar as peças feitas, peças atemporais e de boa qualidade.

movimento-slow-fashion-2-gabrielafurquim

 

(Foto: Santa Boca)

Em qualquer área o slow tem como objetivo a conscientização e eu confesso que acho muito interessante esse conceito. Enfim, eu já falei isso em vários posts e vou falar aqui de novo porque é uma das principais características do Slow-Fashion que é prezar por qualidade, nada de ir nas lojinhas e comprar um monte de roupas que estão por um preço bom porque isso é um ciclo onde você compra → não dura → descarta e isso vai se repetindo e acaba gerando impactos negativos no meio ambiente. Então a ideia do movimento é ser sustentável, economizar e investir em peças que você sabe que vai durar o resto da sua vida. Algumas outras características do movimento Slow-Fashion são:

  1. VISÃO: O nosso consumo afeta o meio ambiente;
  2. PRODUÇÃO CONSCIENTE: Com o movimento Slow-Fashion a produção será mais lenta e saudável e não desenfreada;
  3. DIVERSIDADE: Valorizar do design local, brechós, peças vintages, materiais reciclados, aluguel e troca de roupas;
  4. QUALIDADE: Valorizar as peças clássicas atemporais e de boa qualidade.

Ah… e se você está achando que Slow-Fashion é coisa de gringo, você está muito enganado(a). Algumas marcas que apostaram nesse movimento foram: Babsie, Doisélles, Gioconda Clothing, Karmen  e Anas.

movimento-slow-fashion-3-gabrielafurquim

(Foto: Jornalismo Ambiental)

Então meus amores, é isso. Me diz aí nos comentários se você apoia esse conceito. Espero que gostem ♥♥♥

Anúncios

5 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s